Era uma vez… 3 Filmes de contos de fadas para fugir da mesmice

Confesso que eu torço o nariz quando eu vejo que vão lançar algum filme inspirado em contos de fadas. Mesmo adorando o gênero, as últimas adaptações de contos clássicos para o cinema não me agradaram.

Parece que as tentativas de criar uma versão mais “madura” dessas histórias acabaram resultando em filmes de ação genéricos que deixam de lado o verdadeiro lado sombrio dos contos de fadas originais.

O Conto dos Contos (2016)

o conto dos contos

Le Pacte

Inspirado nas histórias do escritor italiano Giambattista Basile, O Conto dos Contos apresenta três histórias que se passam em reinos diferentes do mesmo universo: na primeira, uma rainha que não pode ter filhos recorre a magia para poder engravidar, porém nem tudo acontece como ela planejava.

Na segunda história, um rei se apaixona por uma mulher que ele ouviu cantando. O que ele não esperava é que a jovem donzela na verdade eram duas irmãs idosas que moravam no casebre e que logo tramaram um plano para se aproveitar da situação. E na última, um rei passa a criar uma pulga gigante em segredo no castelo, enquanto sua filha o pressiona para que lhe arranje um marido. Três narrativas que podem terminar em um final feliz ou em um completo desastre, ou os dois, pois “toda magia tem seu preço”.

 

Os Contos da Noite (2011)

contos da noite

Nord-Ouest Productions/StudioCanal

Dois jovens se encontram à noite em um cinema onde um senhor idoso possui uma máquina que permite que eles se transformem em personagens de contos de fadas.

Cada vez um escolhe um conto que ambos irão representar: instrumentos mágicos, uma viagem ao mundo dos mortos, maldições, príncipes e princesas encantados e amores aparentemente impossíveis.

Cada história se passa em um lugar diferente e termina com um ensinamento, sempre com cenários elaborados como pano de fundo. Uma belíssima animação francesa.

Os Irmãos Grimm (2005)

os irmãos grimm

Dimension Films/MGM

O mais “hollywoodiano” dos três filmes, mas mesmo assim consegue fugir dos estereótipos. O filme conta as aventuras dos irmãos Grimm, que na história viviam de fazer mágicas baratas até que uma maldição verdadeira é lançada sobre o reino.

No decorrer do filme eles se deparam com diversas situações e personagens que futuramente iriam se tornar os personagens icônicos dos escritores.

Os filmes que eu queria ver

Untitled design

Se você tem uma conta no Filmow provavelmente já acumulou uma quantidade inimaginável de filmes na sua lista de quero ver. Se você não tem você tem uma listinha em algum lugar ou já pensou em fazer uma.

Outro dia eu estava conversando com uma amiga e percebemos a quantidade de tempo que teríamos que dedicar se quiséssemos completar essa lista. Exemplo:

Eu tenho 381 filmes (e contando!) na minha lista de filmes que eu quero assistir. Presumindo que cada filme tenha duas horas de duração:

381×2=762 horas de filmes para assistir, que equivalem a:

762/24= 31 dias e 18 horas de longa metragens.

Considerando a quantidade de tempo que passamos fazendo outras atividades ao longo da nossa vida, esse número até que não parece tão absurdo. Mas a questão que eu me peguei pensando é: por que eu não assisto as drogas dos filmes?

Eu consigo chegar em casa e passar horas na internet ou vendo alguma série está passando na televisão e pela qual eu não tenho a menor atração. Acho que eu cheguei no ponto da procrastinação que eu chego a adiar até as coisas que eu quero fazer.

Eu tenho usado este blog, além de outros motivos, como uma ferramenta para conseguir colocar mais disciplina na minha vida. Isso tudo, caras, caros e cares leitores, é só um desabafo introdutório para avisar que vem tag de filme e série pela frente neste blog iniciante.

Estejam preparados ;)